Qual a diferença da atuação em sala de aula entre o intérprete de Libras e o Professor de Libras?

Você já se perguntou alguma vez se um intérprete de Libras em sala de aula faz a mesma coisa que um professor de Libras? A resposta a essa pergunta é não, eles têm funções diferentes. Vamos esclarecer aqui algumas delas.

No artigo que falamos sobre a função do intérprete em sala de aula, ficou bem claro que ‘o papel do intérprete é ouvir a aula do professor ouvinte e traduzi-la em Libras para o aluno surdo para que ele tenha acesso ao conteúdo assim como os outros na sala de aula.O intérprete também pode fazer a mediação inversa. Caso o aluno surdo queira fazer alguma pergunta ou dizer algo ao professor ou aos colegas de classe, o intérprete traduz oralmente a fala dele.’

Mas e o professor de Libras? Em primeiro lugar, é bom lembrarmos que o professor de Libras pode ser tanto surdo como ouvinte, diferente do um intérprete em sala de aula que é sempre um ouvinte. Qual é a função desse profissional?

O professor ensina a língua de sinais para alunos surdos e/ou ouvintes – história, gramática e espaço da Libras. Além de ensinar o idioma, ele ensina também sobre a comunidade e cultura dos surdos. Alguns trabalham em escolas bilíngues, escolas inclusivas e instituições que dão cursos básicos e avançados de Libras.

Pode acontecer de os papéis dos dois profissionais se misturarem? Sim, com certeza. Muitas vezes os intérpretes acabam tendo que ensinar primeiro a língua de sinais para o aluno surdo que não sabe Libras, embora eles talvez não tenham formação para isso. E no caso de um professor de Libras ouvinte, ele pode ser solicitado dentro do ambiente de trabalho para suprir uma necessidade quando não há um profissional intérprete para atuar.

Quer saber mais sobre o papel do intérprete de Libras em sala de aula? Temos um artigo sobre isso. Você pode clicar aqui.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Os campos obrigatórios estão marcados com *